Peptídeo oriundo de planta é promessa contra linfoma anaplásico de grandes células

Por Docmedia

17 outubro 2022

Os ciclotídeos são pequenos peptídeos em forma de anel identificados originalmente na década de 1960 a partir do extrato de plantas africanas. Cerca de cinquenta anos mais tarde, na década de 2010, um desses ciclotídeos, o kalata B1, foi reconhecido como tendo atividade imunossupressora.

Agora, um esforço de pesquisa capitaneado pela Universidade Médica de Viena conseguiu demonstrar nítida ação antitumoral da mesma molécula sobre o linfoma anaplásico de grandes células (LAGC). A publicação na revista Biomedicine & Pharmacotherapy lembra que o mecanismo imunossupressor descoberto para kalata B1 envolvia a inibição da divisão celular das células T.

Muito tempo depois, pesquisadores de três universidades austríacas e um instituto de pesquisa em Viena especulou se tal mecanismo afetando a replicação de células T seria de utilidade para o combate de neoplasias também dependentes da proliferação de células T. O estudo atual avaliou a atividade de uma forma sintética do kalata B1 (T20K) e algumas variantes que diferiam por apenas alguns aminoácidos.

As moléculas foram testadas inicialmente em culturas celulares contendo linhagens LAGC. Como resultado, os pesquisadores descobriram que T20K e suas variantes foram capazes de inibir a divisão celular e induzir morte celular nas células LAGC de forma dependente da concentração. Além disso, outros experimentos mostraram que a ação molecular de T20K incluiu importantes vias de sinalização interna da célula com base nas proteínas STAT5 e p53.

Num segundo experimento, este feito em modelos murinos de LAGC, os tumores dos animais tratados com T20K tinham aproximadamente a metade do tamanho daqueles do grupo controle de camundongos não tratados.

Segundo os autores, seus resultados estabelecem uma base sólida para novas pesquisas investigando o T20K como uma opção terapêutica nos casos de linfoma anaplásico de grandes células.

Quer saber mais?

Fonte: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0753332222008757?via%3Dihub#!

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas
Read More

Conjugado anticorpo-droga mostra benefício em um grupo maior de pacientes com câncer de mama

Até recentemente, os cânceres de mama eram divididos como sendo positivos ou negativos para o receptor do fator de crescimento epidérmico humano 2 (HER2). Uma vez assim classificada, a paciente é considerada apta para medicações que direcionam o HER2, em caso positivo, ou para a quimioterapia padrão. Agora, um estudo multicêntrico capitaneado por integrantes do Sloan Kettering Cancer Center pode consolidar uma importante mudança de prática em relação a essas pacientes.