Nova medicação oral para o lúpus tem animado pesquisadores

Por Docmedia

5 outubro 2022

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune sistêmica que compromete diversos órgãos e tecidos, podendo levar seus mais de 5 milhões de portadores em todo o mundo. A incompleta compreensão sobre seus mecanismos subjacentes faz com que não exista uma cura, com o tratamento atual funcionando para suavizar os sintomas e limitar o dano tecidual.

A novidade é que pesquisadores da Universidade de Stanford e da Bristol-Myers Squibb desenvolveram uma medicação oral que tem mostrado resultados animadores contra a doença. A equipe, que apresentará seus resultados na reunião de outono da American Chemical Society (ACS), informa que seus esforços se concentraram sobre receptores semelhantes a toll (TLR7 e TLR8) para os quais se suspeitava participação crítica na atividade autoimune que caracteriza a condição.

O resultado do trabalho de aprimoramento a partir de uma coleção de compostos resultou na droga afimetoran, um inibidor seletivo de TLR7 e TLR8 por via oral. Segundo a equipe, o novo composto apresenta vantagens sobre medicações injetáveis para LES, o anifrolumabe (AstraZeneca), que bloqueia um receptor para o interferon, e o belimumabe (GlaxoSmithKline), que reduz a sobrevivência das células B.

Nos estudos, afimetoran provou interferir com o interferon e também controlar os danos causados por células B hiperativas. Além disso, o composto inibiu a produção de múltiplas citocinas pró-inflamatórias que causam danos teciduais no LES. Testada em camundongos modelo para LES, o afimetoran tanto impediu o surgimento dos sintomas em animais suscetíveis como reverteu os danos naqueles com a doença estabelecida e prestes a sucumbir, melhorando a sobrevida.

Nos estudos de Fase 1, a segurança do composto foi comprovada, com uma baixa dose sendo suficiente para inibir a sinalização TLR7 e TLR8 ao mesmo tempo em que permite doses mais baixas de corticoide. No momento, está em andamento um estudo de Fase 2 com pacientes lúpicos.

Quer saber mais?

Fonte: https://www.acs.org/content/acs/en/meetings/acs-meetings/fall-2022.html

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas