Inteligência artificial utilizada na detecção precoce da doença de Alzheimer

Por Docmedia

20 novembro 2020

A ressonância magnética funcional (fMRI) possui um espectro 4D de avaliação, onde são computadas as características espaciais da imagem (3D) e as variações dos níveis de oxigênio na circulação cerebral ao longo do tempo (4D).

Por conta dessas características, o método é utilizado no diagnóstico não invasivo de patologias neurológicas como a doença de Alzheimer (DA). Entretanto, esse método tem utilização limitada por ser suscetível a ruídos e pela dificuldade em se analisar sua complexa estrutura de dados.

A novidade é que pesquisadores da Texas Tech University afirmam terem desenvolvido um algoritmo de aprendizado de máquina desenhado especialmente para lidar com a estrutura de dados encontrada na fMRI. O novo método de aprendizado de máquina é de lidar com o espectro 4D dos dados da fMRI e classificar as imagens com saudável, indivíduo com déficit cognitivo leve ou portador de DA.

Quer saber mais?

Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.

Baixe aqui AppStore

Baixe aqui Google Play

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas