Estudo explora ligação entre inflamação intestinal, microbioma e câncer colorretal

Por Docmedia

22 dezembro 2022

O câncer colorretal (CCR) é a segunda principal causa de mortes por câncer em todo o mundo. Portadores de doença inflamatória intestinal (DII) possuem um risco aumentado de desenvolver CCR em comparação com a população geral, com estudos sugerindo que o microbioma intestinal seja um dos promotores desse aumento de risco.

Agora, um novo estudo de pesquisadores da Universidade de Yale encontrou mais provas do papel do microbioma intestinal na patogênese do CCR. Recentemente publicado na revista Science, o novo estudo conta que a equipe desenvolveu uma tela com o objetivo de identificar metabólitos bacterianos do microbioma intestinal de portadores de DII que mostrassem capacidade de promover danos ao DNA das células (genotoxinas).

Estudos anteriores já mostraram que cepas comensais de Escherichia coli produzem a genotoxina colibactin que promove quebras no DNA em células do epitélio intestinal e promove a progressão do CRC em modelos murinos. No estudo atual, a tela de triagem de danos ao DNA baseada em eletroforese de larga escala isolou mais de 100 bactérias comensais no microbioma de portadores de DII.

Especificamente, algumas cepas de Clostridium e da gram-negativa Morganella morganii mostram induzir dano direto ao DNA livre em estudos sem células e a parada do ciclo celular em estudos com células. Contudo, nenhuma dessas cepas mostraram capacidade de produzir colibactin, sugerindo que o dano ao DNA era causado por uma nova classe de genotoxinas.

Na sequência, técnicas de descoberta de moléculas baseadas em bioatividade conseguiram caracterizar as indoliminas como autoras do padrão de dano ao DNA identificado. Um modelo murino de CCR também evidenciou maior crescimento do tumor na presença de M. morganii. Por fim, quando a cepa foi substituída por um mutante da mesma espécie incapaz de sintetizar indoliminas, a combinação não foi capaz de promover o crescimento dos tumores CCR nos animais modelo.

Segundo os autores, seus achados e trabalhos similares apontam para um ainda inexplorado universo de pequenas moléculas genotóxicas do microbioma relacionadas diretamente à patogênese do câncer colorretal.

Quer saber mais?

Fonte: https://www.science.org/doi/10.1126/science.abm3233

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas