Estudo demonstra efeito deletério da frutose sobre o sistema imune

Por Docmedia

2 abril 2021

A frutose é um açúcar simples que compõe aproximadamente 50% do açúcar refinado de mesa. O seu uso também é muito frequente em refrigerantes e outras bebidas adoçadas, havendo diversos estudos afirmando que seu consumo em excesso deve ser evitado por não ser saudável. Além de uma relação direta com doenças como diabetes e obesidade, o consumo de frutose também é acusado de prejudicar o desempenho do sistema imunológico, embora o mecanismo envolvido ainda não tenha sido descrito.

Agora, pesquisadores da Swansea, em colaboração com pesquisadores da Universidade de Bristol e do Instituto Francis Crick, conseguiram descobrir como isso acontece. Utilizando modelos de sistema imune in vitro e in vivo, conseguiram demonstrar que a frutose promove reprogramação metabólica das células imunes, direcionando-as para a glutaminólise e o metabolismo oxidativo.

Uma vez que esses últimos são necessários à produção de citocinas inflamatórias, a exposição à frutose induz as células do sistema imune para um estado inflamatório que cronicamente pode prejudicar a função imune.

Quer saber mais?

Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.

Baixe aqui AppStore

Baixe aqui Google Play

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas
Read More

Ritmo circadiano do intestino delgado associado à prevenção da obesidade e melhor saúde

O intestino humano contém entre 500 a 1.000 diferentes espécies bacterianas em atividade, o que pode significar um microbioma composto por até 100 trilhões de microrganismos. A novidade é que pesquisadores da Universidade da Califórnia (San Diego) decidiram investigar essa complexidade do microbioma em diferentes momentos do dia e com diferentes estímulos dietéticos e ver como isso afeta o organismo hospedeiro.