Esferoides 3D de tumores malignos ovarianos podem melhorar a busca por drogas

Por Docmedia

28 outubro 2020

Uma das formas de testar novos medicamentos contra o câncer é expor células cancerígenas a eles e observar se conseguem eliminá-las. Essa tecnologia é disponível há muito tempo nas culturas celulares e vem sendo usada com esse objetivo. Infelizmente, estudos mostram que as culturas celulares monocamadas 2D muitas vezes não conseguem reproduzir de forma fidedigna o que ocorre nos tecidos porque lhes falta complexidade estrutural e a interação com células adjacentes.

A tecnologia dos esferoides surgiu como forma de tentar dar a esse importante instrumento de pesquisa a complexidade que lhe falta. Isso é particularmente importante em doenças como o câncer de ovário, onde essas nuances de complexidade fazem com que 90% das drogas reveladas nos testes pré-clínicos falhe no início dos ensaios clínicos e apenas 5% obtenha sucesso ao final.

A boa notícia é que pesquisadores da University of Nottingham e da Queen Mary University London anunciaram sucesso no desenvolvimento de um esferoide 3D de câncer de ovário. A tecnologia reúne diferentes tipos celulares em estrutura montada com peptídeos e proteínas do microambiente tumoral e foi validada por testes com quimioterápicos.

Quer saber mais?

Veja esse artigo e mais notícias sobre inovação em Medicina, Odontologia e Farmácia, no nosso app. Lá além de mais conteúdos, você poderá montar a sua biblioteca de artigos para referência. Acesso gratuito.

Baixe aqui AppStore

Baixe aqui Google Play

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas