Ativação de músculo específico durante o repouso aumenta sistemicamente o metabolismo

Por Docmedia

27 outubro 2022

O estilo de vida do ocidental médio implica uma enorme tendência ao sedentarismo. Calcula-se que um indivíduo médio nos EUA permaneça cerca de 10 horas por dia sentado. Por outro lado, o sedentarismo é associado com aumento do risco de uma série de comorbidades que incluem diabetes, doença cardiovascular, demência e outras mais.

Buscando alternativas inovadoras para melhorar esse dilema metabólico dos dias modernos, pesquisadores da Universidade de Houston identificaram um músculo específico do corpo que pode triplicar o metabolismo oxidativo do corpo durante o repouso com um protocolo específico de ativação. Publicado em iScience, o estudo se concentrou no músculo sóleo da perna, que possui massa aproximada de apenas 1000g.

Durante o repouso, estima-se que toda a musculatura esquelética do corpo humano responda por apenas algo em torno de 15% de todo o metabolismo oxidativo da glicose no gasto energético. Utilizando dados de biópsias, a equipe descobriu que o músculo sóleo tem biologia sui generis, caracterizada por metabolismo oxidativo lento menos dependente do glicogênio e mais voltado para a utilização do oxigênio na queima da glicose e dos lipídios disponíveis na corrente sanguínea.

Como consequência, quando ativado corretamente, o músculo sóleo pode elevar o metabolismo oxidativo local a níveis elevados por horas, não apenas minutos, utilizando fonte energética diversa do glicogênio muscular e contribuindo para a regulação sistêmica desses metabólitos. No estudo, o músculo foi ativado com o voluntário na posição sentada, causando a elevação do calcanhar com manutenção do apoio da porção anterior do pé.

O método de ativação do músculo sóleo desenvolvido pela equipe (SPU) promoveu ampliação do gasto energético sistêmico, normalmente insignificante no repouso, resultando em 52% menos excursão de glicose pós-prandial (~50 mg/dL menos entre ~1 e 2 h) com 60% menos hiperinsulinemia.

Numericamente, isso significa duplicar ou até mesmo triplicar o metabolismo energético no repouso. Segundo os autores, isso é um resultado expressivo na ausência de qualquer produto farmacêutico ou experimental que promova benefício similar.

Quer saber mais?

Fonte: https://www.cell.com/iscience/fulltext/S2589-0042(22)01141-5?_returnURL=https%3A%2F%2Flinkinghub.elsevier.com%2Fretrieve%2Fpii%2FS2589004222011415%3Fshowall%3Dtrue

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas